Resenha: "O Menino do Pijama Listrado"

Título: O Menino do Pijama Listrado
Páginas: 192
Autor: John Boyne
Editora: Cia das Letras

Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a esperançosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

Nesta etapa do desafio eu teria que ler um livro que tenha virado filme, o primeiro que eu escolhi foi esse. Geralmente eu não gosto de ler os livros que eu já assisti o filme, mas resolvi abrir uma exceção para esse.

O livro se passa na Segunda Guerra Mundial. Bruno é um garoto que adora seus amigos, sua casa e tudo em Berlim, um dia quando chega em casa percebe, surpreso, que todas as suas coisas estão sendo empacotadas e descobre que a família vai se mudar. Chegando a nova casa, em Haja-Vista, Bruno percebe que não é nada parecido com seu antigo lar, lá é um lugar isolado sem vizinhos e nenhuma criança para fazer amizade. Enquanto ele conhece a nova casa vê que da janela do seu quarto tem vista para um lugar com uma cerca e do outro lado tem muitas pessoas, e todas com os mesmos pijamas listrados.

Um dia Bruno decide explorar o lugar, uma coisa que ele adora fazer, e nessa exploração ele consegue chegar até a cerca, e sentado perto dela está Shmuel, um menino magro, triste, que usa o pijama listrado. Curioso, Bruno começa a conversar com ele, e descobre que fazem aniversário no mesmo dia, Bruno então decide que todo dia vai começar a visitar Shmuel todos os dias e levar comida para ele, nessas idas e vindas e muitas conversas eles começa a criar uma amizade

Quando eu terminei de ler esse livro posso dizer que eu fiquei na merda, deitada na cama pensando o que eu ia fazer depois de ter terminado. Quando eu comecei a ler eu fiquei até um pouco desanimada, não conseguia me prender na leitura de jeito nenhum, estava pensando em terminar ele depois (provavelmente eu estava assim por que os livros que eu li anteriormente tinham mais ação). Decidi dar mais uma chance para ele, aproveitei meu fim de semana e terminei ele, depois disso me arrependi de não ter lido ele logo de uma vez.

O livro é contado em terceira pessoa e mantém todo o foco em Bruno, por isso tem até uma certa linguagem infantil, se não soubesse o que se passava por trás de tudo aquilo até dá para acreditar em toda inocência de Bruno, as conversas de com Shmuel, pra mim foram marcantes, Bruno nunca via pelo pior lado, pensava que Shmuel era até mais feliz que ele por ter crianças para brincar, sempre que Shmuel fala que os soldados são maus, Bruno sempre pensa que o pai não entra nessa lista.

Como eu já tinha assistido ao filme, não nenhuma surpresa o que aconteceu no livro, mas foi o impacto das palavras que me fizeram pensar e refletir. Se fosse fazer uma comparação do livro com o filme, posso dizer ficou uma coisa bem fiel, no filme o foco não é só no Bruno, temos conversas entre os pais dele, para ter uma idéia do que está se passando fora do mundinho de Bruno, no filme também tem uma frase, dita pelo tenente Kotler, que não tem no livro, que foi um dos pontos altos do filme, frase inesquecível. Não cheguei a chorar no livro, coisa que aconteceu quando assisto o filme, mas eu acho que o motivo foi as atuações, que estão esplendidas.

Adorei o livro, a inocência e a amizade em um época em que isso seria impossível, apesar de alguns momentos de raiva por algumas atitudes de Bruno, eu até entendo que ele é uma criança, mas mesmo assim eu senti raiva, acho que foi por isso que eu gostei, se pensar bem aquela seriam atitudes de uma criança.

"Você é meu melhor amigo, Shmuel"disse ele. "Melhor amigo para a vida toda"

10 comentários

  1. Ai, que lindo eu nunca assisti o filme mais tenho o livro, tá na estante, ainda não o li... Mas juro que minha próxima leitura vai ser este livro.
    Deve ser muito linda a história ainda mais contendo a amizade de duas crianças, mal posso esperar para ler e ver o filme. Minha amiga viu o filme e disse que é lindo; e também ouço muitos elogios sobre.
    Beijos...
    Minha próxima leitura é esse livro.
    Thayná :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thayna, aproveita para tirar o livro da estante e leia, ele é muito bom.

      Excluir
  2. Ainda não li o livro mas, me emocionei muito ao ver o filme.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Estou há tempos com o livro na lista de desejados, mas infelizmente ainda não pude adquirir meu exemplar. Já assisti ao filme e me emocionei bastante!

    Até logo,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sergio, tudo bem, o livro é bom, o filme complementa o livro.

      Excluir
  4. Eu já li o livro e assisti o filme, e essas é uma das leituras que eu mais gostei de saborear, como você disse não tem ação e não me emocionei mas ele nos leva a questionar até onde o amor pode superar a dificuldade, o medo e a ignorância. Ótima resenha! Beijos! Apenasumaleitura.blogspot.com.br #DL14

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana, é realmente isso que a história traz.

      Excluir
  5. Procurando uma forma de adquirir o livro para matar a minha curiosidade. Também não tive a oportunidade de ver o filme. Só tenho visto comentários muito bons sobre o livro e vou lê-lo assim que puder.

    ResponderExcluir

© Just Breathe - Todos os direitos reservados.
Criado por: Beatriz e Thayná.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo